quinta-feira, 5 de março de 2009

Gíria, não! Dialeto!

Se há algo que me preocupa de fato em relação à minha mudança para o Recife, é saber que terei de maneirar no uso das expressões que aprendi no berço da humanidade, a zona leste de São Paulo, porque os pernambucanos ainda não estão preparados para entender um linguajar de tamanha riqueza.

Com muito esforço e dedicação, me tornei um filólogo do zonalestês, língua que, com o tempo, deverá ocupar seu lugar junto às clássicas, como o latim e o grego. Em breve, porém, encaminharei um projeto para criar aqui, na Universidade Federal de Pernambuco, a primeira cátedra de zonalestês do Brasil e dividir com os pernambucanos o meu aprofundado conhecimento.

Abaixo, seguem alguns dos verbetes que cataloguei guimarãesroseando pelas imponentes ruas dos bairros Cidade Patriarca, Artur Alvim e, por último mas não menos importante, Vila Nhocuné.

A melhor que tá tendo - pessoa ou coisa que, nas atuais circunstâncias, é a melhor em alguma coisa. Ou simplesmente mulher atraente. "Essa mina é a melhor que tá tendo".
A pior que tá tendo - antônimo de "a melhor que tá tendo".
A pampa - confortável, satisfeito, sentindo-se bem. "Tô a pampa".
Belisco - caso amoroso, pessoa com quem se faz ou se pretende fazer sexo casual sempre que for conveniente. "Vou sair com um belisco aí".
Chapéu atolado - idiota, pessoa que é passada para trás. "Mano, cê tá achando que eu tô de chapéu atolado".
Cola na grade - aproxime-se.
Duas ideias - pessoa que não cumpre com a palavra, contraditória, desonesta. "O cara tá dando duas ideias, palavra de malandro não faz curva".
Enquadro - ato de a namorada fazer questionamentos ao namorado ou de ser parado pela polícia. "Tomei um enquadro da PM ontem" ou "A mina dele enquadrou ele na frente de todo mundo".
Fight - transar, ou quase. "Saí com uma mina e dei uns fight com ela ontem".
Goró - bebida alcoólica de péssima qualidade, como vinho em garrafa de plástico. Cerveja Guinness, por exemplo, não se enquadra nessa categoria.
Kissasso (a) - pessoa muito feia e mal vestida, enfim, kissassa.
Mano - tratamento afetuoso, presente em quase todas as frases dos zonalestenses.
Manso - tratamento desafetuoso, usado para os cornos.
Mamis - felação, linguagem chula. "Faz um mamis".
Na humildade - tratamento que antecede algum pedido. "Na humildade, tem como me arrumar um careta (cigarro)".
Na moral - tratamento respeitoso, usado na hora de fazer alguma ponderação. "Na moral, não mata o maluco não. Só dá um pau nele".
Na picadilha - ficar alerta, pegar alguém de surpresa. "Tô na picadilha com você" ou "O cara tava saindo de casa e o ladrão pegou ele na picadilha".
Nóia - pessoa muito viciada em droga, pessoa que que parece ser muito viciada.
Rimas - usadas tradicionalmente para expressar bem-estar. "Suave na nave", "De boa na lagoa", "Sussa na montanha-russa" etc.
Sem maldade - ver em "na humildade".

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Aí mano, sem maldade, lança essa idéia na banca. Se algum manso levar uma, nóis capota.

    ResponderExcluir
  3. Aqui é o crime não é o creme! rs

    ResponderExcluir